Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

04 Abril de 2020 | 21h24 - Actualizado em 05 Abril de 2020 | 00h00

COVID - 19: Encerrados 35 mercados no país

Luanda - Trinta e cinco mercados informais, entre os quais o do Kikolo (Luanda), um dos maiores do país a céu aberto, e 49 estabelecimentos comerciais foram encerrados pelas autoridades por insolubilidade, no âmbito das medidas para conter a propagação do novo Coronavírus.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Waldemar José , Porta-Voz do ministério do interior, durante a conferência de imprensa de actualização dos dados

Foto: Gaspar dos Santos

Segundo o porta-voz do Ministério do Interior, Waldemar José, que falava em conferência de imprensa de actualização do estado operativo do Estado de Emergência vigente no país, na capital angolana foram ainda encerrados os mercados das Pedrinhas e o das Salinas.

Noutra vertente, informou que nas últimas 24h00 foram detidos, por desobediência civil, 87 cidadãos, distribuídos por Luanda (44), Benguela (05), Bengo (05), Cuanza Sul (10), Cuando Cubango (05), Bié (02), Cunene (02), Huila (01), Zaire (9) e Moxico (04).

Foram apreendidas, igualmente em todo o país, 132 viaturas por os seus condutores não respeitarem os níveis exigidos de lotação à luz das novas normas do Estado de Excepção, que recomenda a utilização de um terço da lotação total.

Apreendeu-se, também, por desobediência, 122 motorizadas em Benguela, 117 no Huambo, 55 em Luanda, 51 Uíge, 47 no Bíe, 41 no Moxico, 17 na Lunda Sul, 13 Bengo, 11 na Lunda Norte, 10 no Cuando Cubango e cinco no Cuanza Sul, além de 31 botijas de gás, cujos preços eram especulados.

Em relação às fronteiras, as forças da ordem detiveram 53 cidadãos por imigração ilegal.

Waldemar José informou ainda que, ao contrário das informações divulgadas nas redes sociais sobre o “pânico” registado num supermercado no Zango, município de Viana, envolveu dois cidadãos vietnamitas e não um chinês, suspeito de ser portador do Coronavírus.

Os cidadãos em causa, recolhidos pelas forças da ordem e de segurança, terão cuspido no chão e não em bens alimentares a venda na aludida superfície comercial.

 “Tão logo ocorreu a situação, encerrou-se o supermercado e convocou-se uma equipa do INEMA para avaliar o estado clínico desses cidadãos, que vivem em Angola há mais de três anos”, disse, afastando a hipótese de serem um portadores do Covid-19.

Angola já registou até ao momento 10 casos positivos da pandemia, dos quais 6 activos, 2 recuperados e 2 falecidos.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 06/04/2020 23:03:06

    Telecomunicações e Comunicação Social fundem-se

    Luanda - O engenheiro Manuel Homem foi nomeado, nesta segunda-feira, ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

  • 06/04/2020 20:28:52

    Cultos religiosos preocupam PN

    Luanda - As forças de defesa e segurança estão preocupadas com o crescente número de líderes religiosos que continuam a realizar cultos clandestinos, no interior de residências, acção que viola o Estado de Emergência contra o COVID-19.

  • 05/04/2020 23:48:27

    Cidadãos insistem com a desobediência

    Luanda - A desobediência de alguns cidadãos, a resistência e agressão às forças de defesa e segurança, continuam a marcar, pela negativa, o regime de Estado de Emergência em vigor no país desde o dia 27 de Março, para prevenir a propagação do novo Coronavírus (Covid-19).