Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

27 Fevereiro de 2020 | 08h07 - Actualizado em 27 Fevereiro de 2020 | 08h21

Gingas voltam aos grandes palcos em Março

Luanda - Detentora de várias canções de sucesso em Angola e na lusofonia, cantadas à base do ritmo semba, as Gingas do Maculusso estarão de volta aos grandes palcos, a 28 de Março próximo, com um espectáculo em Luanda, denominado "O Reencontro".

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Gingas do maculusso em palco (arquivo)

Foto: Clemente Santos

O anúncio do show foi confirmado na página de facebook do grupo, que confirma a participação de Gersy Pegado, Daniela Miranda (Paula), Patrícia Faria, Josina Stella, Celma Miguel, Maria João, Kizua Gourgel e Figueira Ginga”.

“Com esta equipa só poderá ser demais. Aguardem e preparem os corações”, lê-se na página do grupo (criada a propósito do show) que dominou o mercado musical angolano por várias décadas, brindando os fãs com dezenas de clássicos.

Com o projecto Gingas Reencontro, Gersy Pegado, Daniela Miranda (Paula), Patrícia Faria, Josina Stella, Celma Miguel, Maria João, Kizua Gourgel e Figueira Ginga voltam a juntar-se, três anos depois das comemorações dos 25 anos de existência do grupo.

As Gingas do Maculusso, que nasceram do projecto Avilupa Kwimbila, sob responsabilidade de Rosa Roque, fizeram parte de uma lista de artistas e grupos musicais angolanos chamados com frequência para animar e actuar em festividades.

O grupo começou o seu percurso em 1983, num dos programas infantis da Rádio Nacional de Angola, sob o comando da jornalista Amélia Mendes.

Tem no seu repertório os discos "Mbanza Luanda", "Malanje-Natureza e Ritmos", "Xiyami" e "Muenhu", e dezenas de canções que estouraram nas rádios e nas pistas de dança de todo o país, como “Kizomba”, “Mbanza Luanda” e “Canta Não Chora”.

O grupo gravou igualmente outros temas marcantes, como “Xyame”, “Filhas de África”, “Panguila”, “Kimbange”, “Missosso”, “A Mangonha”, entre outras.

Em 2009, o grupo registou o primeiro momento de ruptura, com a saída da vocalista Patrícia Faria, que optou pela carreira a solo. Mais tarde, saíram Paula, Josina e, por último, Maria João, rompendo o ciclo de sucessos iniciado em 1983.

Apesar da ruptura, os integrantes do grupo participaram de alguns eventos juntos, com destaque para o show alusivo ao seu 25º aniversário.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 26/02/2020 14:38:48

    Cassules Viveiros Njinga a Mbande revalida título infantil

    Luanda - O Cassules Viveiros do Njinga a Mbande revalidou o título na categoria infantil, com 580 pontos.

  • 26/02/2020 14:17:52

    Etu Mudietu vence na classe B

    Luanda - Com 602 pontos, o União Etu Mudietu conquistou o título na classe B do Carnaval de Luanda, e garantiu a subida para A, em 2021.

  • 26/02/2020 14:03:47

    Kabocomeu relegado para classe B

    Luanda - Sessenta e oito anos depois da sua criação, o grupo União Operário Kabocomeu, do distrito urbano do Sambizanga, município de Luanda, deixa o convívio dos grandes do Carnaval de Luanda, fruto do 11º lugar na edição 2020 do Entrudo.