Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

14 Agosto de 2020 | 18h19 - Actualizado em 15 Agosto de 2020 | 10h32

Funeral de Carlos Burity acontece sábado

Luanda - Os restos mortais do músico Carlos Burity serão sepultados neste sábado, às 10 horas, no cemitério de Santana, em Luanda.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Funeral do cantor angolano, Carlos Burity marcado para sábado

Foto: Lino Guimaraes

De acordo com o programa das exéquias a que a Angop teve acesso, para a noite de hoje (sexta-feira) está previsto o velório no Quartel Geral dos Bombeiros.

Para sábado, antes da romagem ao cemitério, realiza-se uma missa de corpo presente, às 08h00, no Quartel Geral dos Bombeiros.

Carlos Burity morreu, quarta-feira, na clínica Girrasol, em Luanda, vítima de doença.

(Por dentro)

Carlos Fernandes Burity Gaspar iniciou-se na música em 1968. Gravou, em 1974, sucessos como "Ixi Iami" e "Recado".

Natural de Luanda, onde nasceu em 1952,  integrou, em 1968, a formação pop–rock "Cinco mais um", com Catarino Bárber e José Agostinho, o último do Duo "Missosso", com Filipe Mukenga.

Em 1974, grava, com o Grupo Semba, uma selecção de músicos angolanos que ficou na história da Música Popular Angolana, o primeiro single, que inclui os temas "Ixi Iami" e "Recado".

Neste mesmo ano, dividiu o palco com David Zé e Artur Nunes, num grande espectáculo realizado na Cidadela Desportiva de Luanda, promovido pelos empresários Palma Fernandes e Ambrósio de Lemos Pereira Gama (ALPEGA).

O single "Inveja" e "Memória de Nelito" surge no mercado em 1975, enquanto o disco "Especulador", um tema de pendor satírico que marca a entrada de Carlos Burity no universo da música de intervenção, e a canção "Desaparecimento de Moreno", gravada com o agrupamento os Kiezos, surgem em 1976.

Em 1983, junta-se ao Canto Livre de Angola, projecto do cantor brasileiro Martinho da Vila e do empresário Fernando Faro, que levou ao Brasil nomes como Filipe Mukenga, André Mingas, Dina Santos, Pedrito, Elias diá Kimuezo, Rebita do Mestre Geraldo, Mamukueno e Joy Artur, acompanhados pelos Semba Tropical.

No mesmo ano, participa, integrado no mesmo projecto, na gravação do LP "Semba Tropical in London", interpretando, com assinalável sucesso, os temas "Monami" e "Tona kaxi".

O álbum "Carolina" surge em 1991, com os temas "Uabiti Boba", "Maria Alukaze" , "Narciso" (de Mamukueno), "Carolina", "Monami", "Adeus" (Filipe Zau) e Kilundo (Filipe Mukenga).

Em 1994 surge com Angolaritmo, que aparece sob a forma de CD em 1994, pela editora VIDISCO, com o título "Ilha de Luanda".

Carlos Burity tem ainda publicados os álbuns "Wanga", "Ginginda", "Massemba", "Zuela o Kidi", "Paxi Iami" e “Malalanza”.

Assuntos Angola  

Leia também