Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

14 Novembro de 2017 | 11h17 - Actualizado em 14 Novembro de 2017 | 11h52

May acusa Putin de intrometer-se em eleições e apoiar ataques cibernéticos

Londres - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, acusou o presidente russo, Vladimir Putin, de intrometer-se em eleições de outros países e de apoiar ataques cibernéticos, além de divulgar "notícias falsas", noticiou a Efe.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Vladimir Putin - Presidente da Rússia

Foto: MARTIN BUREAU

Theresa May - Primeira Ministra Britânica

Foto: JACK TAYLOR

Num banquete segunda-feira à noite no centro financeiro de Londres, que foi repercutido nesta terça-feira pelos meios de comunicação britânicos, a chefe do governo fez o ataque mais duro contra a Rússia desde que assumiu o poder no ano passado e acusou Moscovo de "semear a discórdia no Ocidente".

A primeira-ministra britânica disse que o governo de Putin procura prejudicar às sociedades livres, mas especificou que o Reino Unido não quer um "eterno confronto" com a Rússia.

May ressaltou que Putin deve escolher um caminho diferente do que tomou nos últimos anos com a anexação da Crimeia e o lançamento de ataques cibernéticos contra parlamentos europeus.

"A Rússia violou de maneira reiterada o espaço nacional de vários países europeus e fez uma campanha sustentada de espionagem cibernética", disse a líder conservadora.

"Isto incluiu a intromissão em eleições e o ataque (cibernético) ao ministério de Defesa dinamarquês e ao Bundestag (parlamento alemão), entre muitos outros", acrescentou.

"Nós sabemos o que está a fazer e não conseguirá. Porque subestimam a resistência das nossas democracias", declarou.

Este ataque de May contrasta com a posição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que na semana passada disse que acreditava em Putin quando este negou ter interferido nas eleições presidenciais americanas de 2016.

Assuntos Política  

Leia também