Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

09 Fevereiro de 2018 | 20h07 - Actualizado em 09 Fevereiro de 2018 | 20h14

Brasil reabre linha de crédito para Angola com dois biliões de dólares

Luanda - O governo do Brasil reabriu nesta sexta-feira a linha de crédito para Angola, com um valor de dois biliões de dólares norte-americanos, que será financiado através do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Troca de pastas entre os ministros angolano das Finanças e dos Negócios Estrangeiros do Brasil

Foto: Antonio Escrivão

Assinatura de memorando de entendimento "Angola Brasil "

Foto: angop

Para o efeito, um Memorando de Entendimento  foi  assinado em Luanda,  entre  o Governo de Angola,  representando pelo ministro das Finanças, Archer Mangueira,  e do Brasil, representando pelo ministro dos Negócios  Estrangeiros, Aloysio Nunes.

O Memorando  assinado,  que  representa a consolidação das relações  entre os dois países  sobretudo no domínio económico,  vai  permitir  a  dinamização do  sector produtivo  de  Angola.

Com o valor vai permitir implementar projectos inscritos  no programa  de investimentos  públicos (PIP),  com destaque para os sectores   de  infra-estruturas  de energia e águas,  transportes  e obras públicas,  segundo o ministro angolano das  Finanças.

 “Este Memorando de Entendimento  é um ponto de partida importante  para  a revitalização das relações comerciais e  financeiras  do Brasil para Angola, que não se  restringem apenas a investimentos  públicos”,  apontou Archer Mangueira.

 Acrescentou que  o instrumento  jurídico assinado  vai, de igual modo,   constituir  um  ponto de partida  para  não  concentração de  financiamentos  em projectos  públicos,  mas  também  a facilitação  da  captação  de poupanças  internas  voltadas   ao sector produtivo.

 No quadro deste  Memorando de Entendido, os  dois países  estabeleceram  negociações,  que já  data de um ano,  para dar continuidade aos acordos que estavam em curso.

Assim, Angola retoma as responsabilidades em relação a regularização do serviço da dívida que tem estado a cumprir, e o Brasil  tem  o compromisso  de redinamizar as  facilidades  financeiras,  segundo Archer  Mangueira.

Por sua vez, o ministro dos Negócios  Estrangeiros do Brasil, Aloysio Nunes considerou de tradicionais as relações  entre os dois países,  defendendo a necessidade de se perspectivar o  futuro, que passa  por investimentos, criação de riqueza e financiamentos.

“Neste instrumento  que assinamos, o governo do  Brasil compromete-se a conceder  garantias  de  financiamento  para as empresas que  farão  os  respectivos movimentos comerciais  de investimentos”, apontou governante  brasileiro.

A República de Angola já beneficiou de  empréstimos  através  do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) do Brasil,  que  ajudaram  na execução  das obras  do aproveitamento da barragem hidroeléctrica  de Laúca,  do  pólo agro-industrial  de Capanda,  o alteamento  da  barragem de Cambambe, entre outras  infra-estruturas num  total de 808,8 milhões de dólares norte-americanos.

Assuntos Cooperação   Economia  

Leia também
  • 09/02/2018 18:35:11

    Apesar da baixa no rating, Moody?s acredita na consolidação fiscal de Angola

    Luanda - O Ministério das Finanças afirmou nesta sexta-feira, que apesar da decisão da Moody's em colocar o rating de Angola em revisão para a descida, esta agência de notação de risco acredita no anunciado esforço do plano de consolidação fiscal do Governo angolano e nos benefícios do novo regime cambial.

  • 09/02/2018 17:39:07

    Receitas do IPU aumentam mais três milhões de kwanzas

    Luena - Cinco milhões, 482 mil e 706 kwanzas foram arrecadado resultantes da cobrança do Imposto Predial Urbano (IPU), durante o mês de Janeiro último, com um aumento de mais de três milhões de Kwanzas, em comparação com o igual período de 2017.

  • 09/02/2018 17:23:43

    Sector petrolífero faz revisão sobre incentivos fiscais

    Luanda - O sector petrolífero angolano está a finalizar a revisão do decreto sobre os incentivos fiscais e descobertas marginais que vai permitir que um volume de cerca de quatro mil milhões de barris sejam desenvolvidos, informou nesta sexta-feira, em Luanda, o secretário de Estado para os Petróleos, Paulino Jerónimo.