Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

11 Maio de 2004 | 11h43

Guiné-Equatorial: Fradique de Menezes condena tentativa de golpe

Malabo

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Malabo, 11/05 - O Presidente de São Tomé ePríncipe, Fradique de Menezes, disse no fim-de-semana queo golpe de Estado preparado por mercenários na Guiné- Equatorial, "caso se realizasse, poderia igualmente ter repercussões" no seu país, deu a conhecer hoje a "Panapress".

Menezes, que falava à imprensa no termo duma visita de 24 horas à Guiné-Equatorial, qualificou esta tentativa de desestabilização de "operação repugnante".

Recordou que em Julho de 2003, o seu país foi alvo dum golpe de Estado levado a cabo por ex-membros do batalhão sul-africano "Buffalo", adiantando que o avião interceptado em Harare (Zimbabwe), que transportava 70 suspostos mercenários, "passou por São Tomé e Princípe para se deslocar à África do Sul com vista a embarcar estes homens".

"Devemos unir os nossos esforços para criar uma força especial para controlar este género de problema", advogou. A seis de de Março passado, o Presidente equato-guineense, Teodoro Obiang Nguema, anunciou a detenção de 15 supostos mercenários que tinham a intenção de derrubar o seu regime.

Pouco tempo depois, cerca de 70 outros foram presos em Harare, tendo o Presidente zimbabweano, Robert Mugabe, autorizado a sua extradição para a Guiné-Equatorial a fim de serem julgados com os supostos mercenários detidos em Malabo.

O Presidente santomense disse que examinou com o seu anfitrião questões ligadas ao reforço "das relações bilaterais, segurança e manutenção da paz na região da África Central".

Menezes e Obiang Nguema ressaltaram a formação de jovens santomenses em medicina, direito e petróleos na Guiné Equatorial.

O estabelecimento duma ligação aérea periódica entre a Ilha de Bioko, onde está situada a cidade de Malabo, e o arquipélago de São Tomé foi igualmente evocado.

Fradique de Menezes sugeriu que o voo semanal que ligaMalabo à pequena ilha equato-guineense de Annobon, situada a 600 quilómetros da capital da Guiné Equatorial, poderá igualmentefazer uma escala no seu país.