Angop - Agência de Notícias Angola Press

Comunidades carentes de Talamajamba recebem bens diversos

13 Agosto de 2019 | 23h01 - Sociedade

Benguela - Mais de duas toneladas e meia de bens diversos foram entregues, hoje, às povoações de Talamajamba, 30 quilómetros a sul da sede do município de Benguela, numa acção de solidariedade da direcção, professores, encarregados de educação e alunos do complexo escolar BG1382.

  • Bens alimentícios

Trata-se de bens alimentícios não perecíveis, roupa usada e sapatos, recolhidos durante três semanas, para mitigar a carência daquelas comunidades.

Beneficiaram-se da oferta, os residentes nas áreas de Kaluteva, Kabandeira, Kalonombe, Papo-seco e dos Três embondeiros, cujos habitantes vivem situações de extrema pobreza.

Em declarações à Angop, o director do complexo escolar BG1382, Paulino Benguela Banja, disse que, sensibilizados com as dificuldades desses cidadãos, que não têm água potável, alimentos condignos – chegam a se alimentar de frutos silvestres, procuraram ajudar na medida do possível.

Já o soba da povoação de Talamajamba, Fernando Jay, agradeceu o gesto e disse esperar que outras pessoas se juntem a esta causa, porque vivem muitas dificuldades devido a falta de água e de alimentos, situação agravada pela dispersão das comunidades.

A autoridade tradicional disse que as crianças percorrem cerca de 30 quilómetros para poderem estudar, por falta de transporte. Na mesma senda, frisou que tratar um documento, como um atestado de residência, também é bastante difícil, pois, algumas comunidades estão distantes e isoladas da sede de Talamajamba.

Fernando Jay solicitou das autoridades a abertura urgente de furos de água, pois, os carros cisternas que abastecem as comunidades locais, muitas vezes falham.

A população depende da boa vontade de alguns fazendeiros que, ao levarem água para o gado, abastecem também as comunidades.

Entretanto, a aluna Jacilda Bongue mostrou-se chocada com a realidade destas povoações e pediu às outras crianças do município de Benguela e não só, a seguirem esse exemplo, porque “ o pouco que se dá é muito para quem nada tem”.

A Talamajamba localiza-se na zona B, dista a 30 quilómetros a sul da sede da província, e possui uma população estimada em três mil e 775 habitantes, cuja principal actividade é a agricultura de subsistência, comprometida, no entanto, pela falta de água, e a criação de animais.