Angop - Agência de Notícias Angola Press

ANDA busca apoios para inserção de deficientes no mercado do trabalho

11 Fevereiro de 2019 | 12h13 - Sociedade

Luanda - O presidente da Associação Nacional de Deficientes de Angola (ANDA), Silva Lopes Etiambulo, apelou hoje, segunda-feira, a ajudas com meios monetários e formação profissional, com vista a inserção de pessoas com deficiência no mercado do trabalho.

  • Presidente da ANDA, Silva Lopes Etiambulo

Em declarações à Angop a propósito do surgimento de um elevado número de pessoas com deficiência a se dedicarem à mendicidade nas principais cidades do país, o responsável afirmou que este fenómeno tende a tomar proporções alarmantes.

Silva Etiambulo recordou que a ANDA, através do projecto Vem Comigo, em curso desde 2002, tem como principal acção a retirada de pessoas deficientes da mendicidade nas várias artérias das urbes e proceder ao seu reassentamento nas zonas de origem .  

"Nos últimos meses temos vindo a constatar o ressurgimento de pessoas com deficiência a se dedicarem à mendicidade, principalmente nas cidades capitais de províncias, facto que nos preocupa bastante, apesar de a ANDA já ter inserido no mercado do trabalho mais de 23 mil pessoas", realçou.

 De acordo com o líder associativo, para contribuir no combate a esta tendência, a ANDA vai organizar, no segundo semestre do ano em curso, o primeiro encontro nacional sobre a  problemática da pessoa com deficiência.

 Este evento visa procurar mecanismos eficazes para a sensibilização da sociedade sobre a necessidade de se criarem condições condignas para que esses cidadãos sejam inseridos no mercado do trabalho e abandonem a mendicidade.

 Para Silva Etiambulo, deve-se combater o princípio de que a pessoa com deficiência não tem valor, pois ela pode contribuir de várias formas para o desenvolvimento do  país, como, por  exemplo, na criação de pequenos quiosques para comércio precário ou de cooperativas de prestação de serviço.

Na ocasião salientou que uma atenção especial será prestada pela coordenação do projecto aos 517 ex-militares deficientes localizados na província do Cuando Cubango, que vivem em condições precárias.

 A ANDA foi fundada a 1 de Fevereiro de 1992 e congrega mais de 80 mil associados.