Angop - Agência de Notícias Angola Press

Funcionários voltam em "massa" ao trabalho

02 Janeiro de 2019 | 17h12 - Sociedade

Luanda - Ao contrário dos anos anteriores, marcados por elevados índices de absentismo, os funcionários públicos compareceram em "massa" aos locais de trabalho, na província de Luanda, nesta quarta-feira, primeiro dia da jornada laboral de 2019.

  • Fachada do Hospital dos Cujueiros
  • Pedestres na Estrada de Catete
  • Viaturas na Estrada de Catete

Os serviços da função pública estiveram interrompidos desde o dia 31 de Dezembro de 2018, no quadro da Lei sobre os Feriados Nacionais, Locais e Datas de Celebração Nacional.

A Lei estabelece “ponte” obrigatória quando os feriados acontecem na terça-feira (celebra-se segunda-feira) ou quinta-feira (celebra-se sexta-feira).

À luz desse diploma, é aplicada uma dupla falta ao trabalhador que não se fizer presente ao local de serviço no primeiro dia útil.

Nesta quarta-feira, a capital “despertou calma”, com as empresas em normal funcionamento.

Esse cenário foi visível na Repartição Distrital de Identificação Civil e Criminal do Rangel e no Hospital dos Cajueiros, onde se notou a presença efectiva dos funcionários.

"No primeiro dia de trabalho registou-se um grau de presença positiva por parte dos funcionários", referiu o chefe da Repartição de Identificação Civil e Criminal do Rangel, Domingos Kinankazi.

O responsável fez saber que os funcionários daquela repartição foram advertidos, atempadamente, sobre as sanções que poderiam incorrer, caso faltassem ao trabalho.

Além dos funcionários, a instituição registou grande fluxo de utentes, neste primeiro dia, principalmente de cidadãos que pretendiam autenticar documentos para efeitos de matrículas e de participação em concursos públicos, bem como para tratamento de registo civil.

Já o director do Hospital dos Cajueiros (município do Cazenga), Armando João, deu a conhecer que todo pessoal administrativo, os enfermeiros e médicos estiveram presentes no trabalho.

“A mensagem passada pela comunicação social, que dava conta da marcação de duas faltas, foi bem acatada e fez com que todos os profissionais aparecessem em massa”, referiu.

Informou que atenderam, nas últimas 24 horas, 260 pacientes em várias especialidades, sendo 43 na pediatria, 50 na maternidade, 99 em medicina e 68 na área de cirurgia.

Acrescentou que registaram, ainda, dois casos de coma etílico (desmaio por uso excessivo de bebida alcoólica) e seis casos de pacientes que foram amputados os dedos dos membros superiores, devido ao mau manuseamento de fogo-de-artifício.

Entretanto, as instituições bancárias registaram, nessa quarta-feira, reduzido fluxo de clientes.

O tráfego de automóvel, durante a manhã, foi fluído, em vários pontos considerados críticos, como na avenida Deolinda Rodrigues (Estrada de Catete), estrada da Samba, Avenida Ho Chi Minh, Avenida N’gola Kiluanji e Avenida Hoji-Ya-Henda.  

Os serviços de táxis e de autocarros funcionam com normalidade, em toda a capital do país, e não há grande fluxo de passageiros nas paragens.

Segundo o oficial de comunicação da Brigada Especial de Trânsito de Luanda, Euler Matari, durante as primeiras horas desta quarta-feira registou-se apenas um acidente de viação, envolvendo duas viaturas ligeiras.

A par de Luanda, os funcionários públicos de outros pontos do país, como a cidade de Saurimo (província da Lunda Sul), fizeram-se presentes nos locais de serviço.