Angop - Agência de Notícias Angola Press

Portugal: Sectores sócioeconómicos perspectivam maior empregabilidade em Angola

19 Maio de 2017 | 19h20 - Sociedade

Lisboa (Da correspondente) - Os sectores da alimentação e agro-indústria, habitação, transporte, logística e energia e águas foram considerados hoje, sexta-feira, em Lisboa (Portugal), como os que oferecerão, nos próximos tempos, em Angola, um maior número de empregabilidade.

  • Participantes da palestra
  • Logotipo da Associação de Estudantes Angolanos em Portugal "A.E.A.P."

A consideração foi feita pela presidente da Associação de Estudantes Angolanos em Portugal, Tatiana Furtado, quando dissertava uma palestra sob tema "Orientação Profissional e Prepare o teu Futuro e faz a escolha certa", promovida pela Associação de Estudantes Angolanos em Portugal.

Para a responsável, o que se pretendeu com o encontro é dar a conhecer a todos os estudantes angolanos em Portugal, as necessidades de Angola, a importância da formação de técnicos para o desenvolvimentos do país.

Considera que maior parte dos jovens estudantes prefere prosseguir, no ensino superior, cursos que supostamente o mercado de trabalho angolano oferece mais saídas, na área técnica.

Tatiana Furtado referiu ainda a importância que a família desempenha na vida dos jovens e estudantes para uma melhor adaptação a chegada a Portugal, sem se esquecer dos objectivos que levou-os a Portugal, de estudar.

Apelou ainda aos encarregados a dialogarem mais, com os filhos ou outros membros de família sob sua tutela, sobre Angola e a sua realidade, a fim de motivar o seu regresso ao país.

Aconselhou os jovens a estudar com mais responsabilidade e rigor, a fazer cursos técnicos, que vão de encontro com a sua vocação e com as necessidades do país, para que no futuro consigam uma maior integração no mercado de trabalho.

A prelectora apresentou ainda as 40 procissões com futuro em Angola, mormente nos sectores acima referidos e que vão de encontro ao Plano Nacional de Formação de Quadros de Angola.

Realça ser do conhecimento da associação que o Governo angolano tem levado a cabo um conjunto de grandes mudanças e transformações de natureza social e económica, que tem como objectivo construir uma sociedade moderna, desenvolvida e sustentável, capaz de proporcionar um bem-estar económico e social a todos os angolanos.

“Estamos num mundo que é cada vez mais global e escolher uma determinada profissão não é tarefa fácil. Foi nesse sentido que a Associação dos Estudantes Angolanos em Portugal criou este projecto, no sentido de colaborar com a iniciativa do nosso Governo, no âmbito do Plano Nacional de Formação de Quadros, que para além da preocupação na formação de quadros de qualidade e quantidade, existe também a preocupação em suprir as necessidades do nosso país”, referiu.

    

Os estudantes presentes apelaram a presidente da associação para a promoção de mais iniciativas de género, com o tema acima mencionado na mesma escola e em outras escolas secundárias.

Por sua vez, o jornalista angolano, Victor Hugo Mendes, falou sobre a realidade angolana nos vários aspectos, tendo aconselhado os estudantes e jovens a pensarem no futuro, com mais responsabilidade, a escolher um curso do qual tenham vocação e que gostem.

Referiu ainda que não basta ser bom, nem muito bom, mas sim ser excelente.

Victor Hugo Mendes ressalta ainda que para ser o que é, para chegar aonde teve que sacrificar-se, viajou muito para conhecer melhor Angola. Deixou de fazer muitas coisas de que gostava, para dar prioridade a sua formação.

Apelou também à disciplina, responsabilidade, respeito pelo trabalho, quer pessoal, quer dos outros e amor pelo que se faz.

  

O jornalista Victor Hugo Mendes referiu ainda a importância da descentralização, visto que todos querem trabalhar em Luanda e se esquecem que Angola tem outras "províncias virgens", com falta de quadros, e que oferecem, muitas vezes, melhores oportunidades e melhor qualidade de vida.

Por sua vez,  a psicóloga  Isabel Lourenço falou sobre a importância da vocação e do cuidado na escolha do curso, por fim mostrou-se disponível para apoiar os estudantes e a associação de estudantes angolanos em Portugal no seguimento deste projecto.

A palestra teve como objectivo sensibilizar e motivar os estudantes angolanos do ensino secundário e superior, sobre a importância da formação técnico profissional como uma opção com futuro.

Durante a palestra, os participantes foram brindados com momentos de música e poesia.

O encontro contou com a presença de estudantes angolanos e portugueses, encarregados de educação, professores e a comunidade angolana em geral.

A associação contou com a colaboração do NEAL (Núcleo dos Estudantes Africanos da Universidade Lusófona), o ISEC- Instituto Superior de Educação e Ciências, a Universidade Lusófona de Humanidade e Tecnologias, e com a Associação Estrela da Lusofonia.