Angop - Agência de Notícias Angola Press

Taxa de incidência do VIH/Sida preocupa primeira dama

11 Junho de 2019 | 17h13 - Saúde

Ondjiva- A primeira dama da República, Ana Dias Lourenço, manifestou-se nesta terça-feira preocupada com a taxa de incidência e de prevalência do VIH/Sida na província do Cunene, fixada em 6.1 por cento de novas transmissões, considerada a maior taxa de seroprevalência no país.

  • Ana Dias Lourenço, primeira dama da República

Segundo dados do Ministério da Saúde, depois do Cunene, seguem-se as províncias do Cuando Cubango, com cinco por cento e o Moxico com quatro enquanto o Zaire representa a menor taxa (0,5).

Ao fazer o balanço da sua visita de dois ao Cunene, no âmbito da campanha "Nascer Livre para Brilhar", Ana Dias Lourenço declarou à imprensa local que a região regista a maior taxa de incidência e de prevalência do país, com uma  taxa de 6.1 por cento.

“A província so Cunene já consta das prioridades da campanha, razão que nos motivou a realizar esta primeira visita de trabalho fora de Luanda, para constatação e avaliação da situação real de atendimento à mulher grávida e ao seu filho, e apresentar o plano operacional local 2019/2021”, disse.

A primeira-dama informou que para o êxito da campanha "Nascer Livre para Brilhar" é necessário estabelecer parcerias com as organizações da sociedade civil, líderes religiosos, autoridades tradicionais, no sentido de facilitar a execução do plano operacional da província de prevenção de transmissão de VIH de mãe para o filho.

“Acredito que saímos daqui convictos que precisamos trabalhar ainda mais no engajamento da causa de fazer melhor para que as nossas crianças nasçam livre do VIH de maneira coordenada e sistematizada, e este é o nosso compromisso para a província do Cunene”, referiu.

Durante os dois dias de visita, a primeira-dama visitou o Hospital Geral de Ondjiva e os municipais de Ombadja e de Namacunde.

Dados dos serviços de Saúde no Cunene, indicam que de Janeiro a Abril deste ano, 108 bebés de mães seropositivas nasceram livres do VIH/Sida, na Maternidade do Hospital Geral de Ondjiva, menos 36 casos em relação a igual período anterior.

A campanha nacional “Nascer Livre para Brilhar foi lançada em Dezembro de 2018, tem como meta a redução da taxa de transmissão do VIH de mãe para o filho de 26 por cento, em 2019,  e para 14 por cento até 2021.

Ana Dias Lourenço regressou hoje a Luanda.