Angop - Agência de Notícias Angola Press

Autoridades implementam medidas para travar surto de sarna

12 Junho de 2019 | 11h56 - Saúde

Lubango - O governo da Huíla está a implementar medidas preventivas para travar o surto de sarna, que desde Janeiro deste ano afectou mais de 50 mil pessoas, o que representa um aumento de 31 mil casos em relação a 2018.

A medida envolve encontros de sensibilização com a comunidade, distribuição de sabão e pomadas para combater a sarna ou escabiose, uma doença cutânea contagiosa, causada por um parasita. Entre os sintomas desta doença está a comichão, sobretudo durante a noite. Surgem também erupções cutâneas. É também uma das doenças parasitárias humanas mais frequentes, embora tenha tratamento.

Segundo o supervisor provincial da promoção da saúde pública, Júlio Madaleno, que prestou a informação, na abertura de um seminário sobre a problemática da sarna na província da Huíla, o bairro Nambambe, assim como a comuna do Hoque, mais precisamente na localidade do Toco, são as áreas mais afectadas.

Fez saber que estão em curso medidas preventivas, como a realização de palestras sobre os cuidados para evitar a doença, assim como disponibilização de sabão às comunidades mais afectadas.

Apelou para a necessidade de se recorrer ao médico quando se estiver diante dos primeiros sinais da doença, por formas a travar o seu agravamento, pois é contagiosa e transmitida por contacto directo.

Para ele, as igrejas, partidos políticos, pessoas colectivas e singulares devem continuar a trabalhar na sensibilização e mobilização da sociedade para os cuidados a observar para evitar a propagação da enfermidade.

A nível da província da Huíla foram registados de Janeiro a presente data 53 mil casos de sarna, sendo o Lubango, Quipungo e Humpata os municípios que fazem o gráfico das ocorrências.

Angop / Ms

nnnn