Angop - Agência de Notícias Angola Press

Primeira-Dama advoga serviços de corte vertical mais perto das comunidades

12 Abril de 2019 | 13h58 - Saúde

Luanda - A Primeira-Dama de Angola, Ana Dias Lourenço, disse hoje (sexta-feira), em Luanda, haver necessidade de se aumentar os serviços de prevenção do corte de transmissão vertical junto das comunidades na periferia, para evitar a concentração nos hospitais de referência.

  • 1ª Dama visita Hospital Geral dos Cajueiros

Ana Dias Lourenço fez esta afirmação no final da visita ao Hospital Geral dos Cajueiros, ao Cazenga, e à maternidade Lucrécia Paím no âmbito da campanha “Nascer livre para brilhar”, lançada em Dezembro de 2018.

Acrescentou que ainda há muito trabalho a fazer, daí a necessidade de aumentar a prestação desse tipo de serviço mais perto da comunidade, salientando que o balanço é positivo a contar com a implementação do plano operativo da campanha lançado quinta-feira no Memorial António Agostinho Neto.

“Foi um balanço positivo e acredito que os amigos desta causa estão satisfeitos com o trabalho que fizemos desde ontem”, enfatizou.

Referiu que foram dois dias positivos porque conseguiram olhar para o plano do que se pretende fazer que culminou com a visita às duas unidades sanitárias para ver como andam as coisas no âmbito da prevenção do corte de transmissão vertical, que é de mãe para filho.

“Saímos bastantes satisfeitos pelo que vimos no Hospital dos Cajueiros e aqui na Maternidade Lucrécia Paim”, disse.

A campanha "Nascer Livre para Brilhar" foi lançada pela primeira-dama da República de Angola, Ana Dias Lourenço, em Dezembro de 2018 e pretende reduzir a taxa de transmissão do VIH de mãe para o filho de 26 por cento em 2019 para 14 por cento até 2021.

O Plano Operacional da Prevenção de Transmissão do VIH de mãe para o filho 2019-2021 e as respectivas metas nacionais e provinciais apresentado quinta-feira prevê igualmente aumentar a utilização do preservativo pelos jovens de 15 a 24 anos e melhorar a qualidade dos cuidados pediátricos até 2021.

A iniciativa de Ana Dias Lourenço alia-se às estratégias do Instituto Nacional de Luta Contra à Sida, que baseada nas metas e compromissos globais assumidos pelo País, elaborou recentemente um Plano Nacional de Aceleração da Prevenção da Transmissão do VIH de mãe para filho.

A campanha "Nascer livre para brilhar" visa trazer à consciência e priorizar a problemática vivida por todos os países do continente e reforçar o compromisso político das Nações Africanas.

O Hospital Geral dos Cajueiros existe desde Agosto de 1998 e presta serviços de Pediatria, Medicina, Cirurgia e Maternidade.

Também tem serviços complementares como a radiologia, laboratório de análises clínicas, ecografias e estomatologia, e desde 2014,  têm feito seguimento de pessoas com VIH/Sida  nas especialidades de clínica geral, obstetrícia, pediatria, nutrição, tisiologia, entre outras.

É uma unidade sanitária de referência do II nível, tem capacidade de internamento de 230 camas.