Angop - Agência de Notícias Angola Press

País conta com 10 unidades especializadas em insuficiência renal

14 Março de 2019 | 13h04 - Saúde

Luanda- Angola conta com mil 651 pessoas com insuficiência renal e 10 unidades sanitárias públicas especializadas para estes casos, revelou hoje (quinta-feira), em Luanda, o director Nacional dos Hospitais, Welema Cipriano.

Falando na abertura do primeiro workshop da doença renal, alusivo à comemoração do Dia Mundial do Rim, que hoje se assinala, o responsável disse estar previsto para este ano a abertura de serviços de hemodiálise nas províncias de Cabinda, Huila, Moxico, Benguela, Cabinda e no Hospital Geral de Luanda.

Segundo ele, em média cada paciente em programa de hemodiálise realiza três sessões por semana nas 10 unidades existentes em Angola.
Welema Cipriano avançou que trabalha-se numa lei do transplante, que irá reduzir os custos recorrentes da hemodiálise e proporcionar melhor qualidade de vida às pessoas afectadas e suas famílias.

Para ele, a doença renal crónica, como a aguda, contribuem para o aumento significativo da morbilidade e mortalidade, bem como para o sector e suas famílias.

Estima-se que 850 milhões de pessoas em todo o mundo apresentam doenças renais de várias causas, sendo actualmente a 11ª causa de mortalidade mundial e ocorrem 2.3 a 7.1 milhões de mortes prematuras por falta de acesso à hemodiálise e transplante.

A doença renal atinge idosos e todas as raças. Depois dos 40 anos o indivíduo perde, em média, um porcento da sua função renal e as pessoas acima dos 60 tem um risco maior de desenvolver a doença.

Para o responsável, deve-se dar uma atenção especial aos grupos de maior risco que incluem doentes com diabetes, hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, obesidade e um histórico familiar.

"É neste sentido que a formação contínua e a atenção dos profissionais de saúde são fundamentais para o seguimento de grupos de maior risco, garantindo que estes doentes recebam os cuidados de saúde de que necessitam para atrasar a progressão da doença", afirmou.

Na ocasião foi proclamada a associação angolana de enfermeiros de diálise e transplante, com vista a melhorar qualidade de vida dos doentes com doença renal.

O Dia do Rim, a celebrar-se hoje com o lema "Saúde renal para todos", foi instituído pela Sociedade Internacional de Nefrologia, com o objectivo de reduzir o impacto das patologias renais em todo o mundo, dedicado à sensibilização da população, incentivando-a adoptar estilos de vida saudáveis, tais como a pratica do exercício físico, alimentação saudável, evitar o tabaco, consumo de sal e açúcar.