Angop - Agência de Notícias Angola Press

Secretário de Estado quer adesão às campanhas de vacinação

02 Dezembro de 2019 | 20h08 - Saúde

Luanda - O secretário de Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke, reforçou hoje, segunda-feira, em Luanda, o apelo às famílias para aderirem à campanha de vacinação contra a poliomielite a decorrer este mês.

  • Celso Malavoloneke - secretário de Estado da Comunicação Social

O secretário de Estado fez este apelo durante um encontro com jornalistas para a partilha de informações sobre a poliomielite.

Celso Malavoloneke afirmou que a vacina é o método mais seguro e eficaz para proteger as crianças contra a doença, por isso exortou aos pais e outros encarregados de educação no sentido de levarem as crianças aos postos de vacinação de 13 a 15 do corrente mês.

“Nos próximos dias 13,14 e 15 deste mês vão acontecer em algumas províncias do país, principalmente em Luanda, a segunda ronda de vacinação contra a poliomielite. Os pais e outros encarregados de educação de menores de cinco anos devem aderir a esta campanha”, frisou.

Solicitou o apoio dos órgãos de comunicação social na divulgação da campanha, assim como devem destacar a importância das vacinas em crianças, para garantir que cresçam saudáveis e livres de certas doenças.

Por seu turno, o representante da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Angola, Hernando Agudelo, afirmou que o alcance do sucesso na luta contra a poliomielite é necessário o envolvimento, além das autoridades governamentais, da população e dos órgãos da sociedade civil.

De acordo com o representante da OMS, o Governo angolano continua a implementar estratégias positivas na luta contra o surto de poliomielite, seguindo as directrizes acordadas internacionalmente, incluindo o reforço da actividade de vigilância para detectar rapidamente quaisquer novos casos da doença.

“A OMS e outros parceiros estão a apoiar os esforços do Governo angolano para a erradicação do surto de poliomielite no país”, ressaltou.

A segunda ronda da campanha de vacinação vai abranger as províncias de Luanda, Bengo, Cuanza Sul, Malanje, Benguela e Moxico.