Angop - Agência de Notícias Angola Press

Enfermeiros de Luanda suspendem greve

13 Junho de 2018 | 20h40 - Saúde

Luanda - O Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda (SINTENFL) anunciou, na noite de hoje (quarta-feira), a suspensão da greve a partir de quinta-feira, após oito horas de intensas discussões com o Governo Provincial.

  • Enfermeiros regressam ao trabalho

O anúncio da suspensão da greve foi feito pelo secretário do aludido Sindicato,  António Kileba, em declarações ao Jornal da TVZimbo das 20H00, pouco depois do termo da reunião com o Governo Provincial de Luanda.

“ O encontro valeu apena, apesar de durar nove horas, pelo que vamos convocar uma assembleia de trabalhadores para transmitir aos membros o que foi debatido”, disse, ressaltando que “já a partir de amanhã (quinta-feira) os profissionais devem afluir em massa aos seus locais de trabalho”.

Já o governador Adriano Mendes de Carvalho informou, na mesma ocasião,  terem sido prestados alguns esclarecimentos e chegaram a acreditar que “tudo, tudo ficou dirimido, pelo que amanhã (quinta-feira) todos devem estar nos seus locais de trabalho”.

A greve do Sindicato dos Técnicos de Enfermagem de Luanda centrou-se, essencialmente, em três pontos, a alteração constante das reivindicações do SINTENFL, intransigência do sindicato e o não acatamento dos resultados produzidos pelo grupo de trabalho que preparou a proposta de revisão das carreiras especiais dos profissionais da saúde, respectivamente.

O pagamento de subsídios por prescrição médica aos doentes, tarefa da responsabilidade de médicos ou enfermeiros especializados, entre outras também constaram das reivindicações do SINTENFL.

Nessa quarta-feira, o Governo de Luanda distribuiu 200 enfermeiros das Forças Armadas Angolanas (FAA), em simultâneo, pelas unidades hospitalares da província de Luanda, para reforçar os serviços de saúde nas áreas de urgência, na sequência da greve que se observa desde segunda-feira última (11) por falta de consenso entre os técnicos do sector e a entidade patronal.