Angop - Agência de Notícias Angola Press

Programa do controlo do cancro entre as sugestões para melhor seguimento dos pacientes

12 Março de 2018 | 13h25 - Saúde

Luanda - A aprovação e implementação do programa nacional do controlo do câncer, a revitalização dos núcleos existentes, bem como a criação de áreas regionais, para melhorar o seguimento do paciente oncológico a nível do país, são algumas sugestões deixadas pela especialista em oncologia Albertina Manaça.

  • Médica do Centro Nacional de Oncologia, Albertina Manaça.

A suscitação foi feita durante uma palestra no âmbito das actividades denominadas “café com ciência e tecnologia “, sob o tema tecnologias para diagnóstico e tratamento dos cancros mais frequentes em Angola.

Na ocasião, a médica oncológica apontou como ferramenta fundamental para diminuir a incidência de casos, a sensibilização da população, da comunidade médica e os decisores do risco potencial que existe do aumento dos pacientes com câncer em um período curto de tempo e a criação da rede oncológica.

O fortalecimento da integração da atenção primária à prevenção, diagnóstico precoce, reabilitação e cuidados paliativos do paciente com câncer, criação de registo da patologia e a organização do registo de base hospitalar em outras unidades estão também entre as estratégias para a redução de cancros.

Segundo a responsável, existem algumas tecnologias importantes para o diagnóstico dos cancros mais frequentes em Angola, nomeadamente RX, Ecografia , TAC , Mamografia, Cintilografia óssea e Densitometria .

Para o seu sucesso, faz parte do tratamento a acção cirúrgica, radioterapia, quimioterapia, hormonoterapia, cuidados paliativos, terapia alvo.

Fez saber que, em 2017, foram registados 262 casos novos de cancro da mama, do colo do útero (247), da prostata (64), do esófago (50), do fígado (35), do estômago (34), do sarcoma de kaposi (46) e linfoma não hodgkin (39).

Realçou que cerca de 70 por cento dos pacientes são diagnosticados em etapas avançadas, o que condiciona o sucesso do tratamento.

A ausência de um registo de câncer de base populacional e de uma rede oncológica que leva assistência mais próximo da área de residência do paciente são algumas das preocupações do Instituto do Cancro, porém, existe uma proposta do programa de controle de câncer entregue ao Ministério da Saúde.

O câncer é uma das maiores causas de mortalidade no mundo, com aproximadamente 14 milhões de novos casos em 2012. O número de novos casos é esperado aumentar cerca de 70 milhões nas próximas duas décadas.