Angop - Agência de Notícias Angola Press

Nova família do kwanza em circulação no primeiro semestre

13 Janeiro de 2020 | 17h22 - Política

Luanda - As novas cédulas do Kwanza (moeda nacional angolana) podem entrar em circulação ainda no primeiro semestre deste ano, anunciou hoje (segunda-feira), em Luanda, o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), José de Lima Massano.

  • Deputados durante a discussão na especialidade
  • Governador do BNA, José de Lima Massano

O responsável do Banco Central prestou a informação aos deputados da Assembleia Nacional, durante a discussão na especialidade da Lei que autoriza o Banco Nacional de Angola (BNA) a emitir e pôr em circulação uma nova família de notas da moeda nacional.

Ao esclarecer algumas inquietações dos parlamentares sobre o assunto, José de Lima Massano deu a conhecer que foram já introduzidas as recomendações feitas pelos deputados, consubstanciadas no “afinamento” da imagem do primeiro Presidente da República, Agostinho Neto, e na manutenção da figura do "Pensador" (símbolo da cultura nacional).

Reforçou que a esfinge passa a contar apenas com o rosto do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, ao contrário da actual que incluía a do ex-chefe de Estado, José Eduardo dos Santos.   

No entanto, a proposta de lei foi aprovada na especialidade com 22 votos a favor e seis abstenções, devendo ser submetida ao plenário para a votação final global no dia 23 deste mês.  

Maior Segurança

Em esclarecimento públicos anteriores, o governador do BNA havia garantido que as novas cédulas do Kwanza serão mais seguras, com características que dificultam a sua falsificação. Terão substratos de polímero (plástico) que as tornarão mais resistentes que as de papel, em circulação.

Segundo José Massano, a introdução da nova família de notas será progressiva, particularmente das denominações mais altas que serão emitidas e colocadas em circulação quando as condições do desenvolvimento económico assim o aconselharem.

As novas notas, no valor facial de 200, 500, 1000, 2000, 5000 e 10000 kwanzas, denominada “Série 2020”, foram também ilustradas com as maravilhas naturais de Angola.

Nas cédulas de 200 kwanzas figuram as Pedras Negras de Pungo a Ndongo (Malange), na de 500 a Fenda da Tundavala (Huíla), na de 1.000 a cordilheira do Planalto Central (Huambo), na de 2.000 a Serra da Leba (Huíla), na de 5.000 as ruínas da Catedral de São Salvador do Congo (Zaire) e na de 10.000 as Grutas do Zenzo (Uíge).

Poder Tradicional

Na sessão de hoje, o parlamentares também discutiram e votaram, na especialidade, a proposta de Lei sobre as Instituições do Poder Tradicional, que vai regular o seu funcionamento e a sua relação com a autoridade e os órgãos das autarquias locais.

Remeteram, igualmente, para votação global final do plenário a Lei de Expropriação por Utilidade Pública e de Requisição Civil, que visa proteger os interesses dos cidadãos, em caso de perda de propriedade por interesse público.

Tiveram o mesmo respaldo as propostas de Lei das Acções Encobertas para Fins de Prevenção e Investigação Criminal, Identificação ou Localização Celular e da Vigilância Electrónica para Fins de Prevenção e Repressão Criminal.

As duas propostas visam facilitar a investigação policial para prevenir e reduzir a criminalidade no país.

Para a votação final global foram, também, aprovadas as propostas de leis das Áreas de Conservação Ambiental e a que altera o Código de Valores Mobiliários.

Todos os diplomas fazem parte da agenda da sessão plenária marcada para o dia 23 deste mês.