Angop - Agência de Notícias Angola Press

França "Ndalu" destaca batalha de Kifangondo na proclamação da Independência

06 Novembro de 2012 | 19h22 - Política

Efeméride

  • 552957_wm_7b035073930871e

Luanda – O general na reserva António dos Santos França “Ndalu” destacou hoje, em Luanda, a importância da célebre batalha de Kifangondo, cujo desfecho favorável permitiu que o presidente António Agostinho Neto proclamar a Independência Nacional, às zero horas do dia 11 de Novembro de 1975.

França “Ndalu” reviveu a epopeia quando falava a propósito do 37º aniversário da Independência Nacional a assinalar-se no próximo domingo, revelando que as tropas que com ele participaram nos combates maravilharam-se quando ouviram, pela rádio, as palavras de Agostinho Neto proclamando o fim da colonização portuguesa.

“Naquela noite, os combatentes sentiram que ao travar os mercenários e as tropas zairenses, apoiadas pelas forças militares afectas à FNLA, com intuito de impedir a proclamação da independência, também tinham ajudado para que a cerimónia decorresse de forma pacífica”, disse.

“Foi uma noite memorável”, sublinhou o general, ao mesmo tempo que realçou a acção militar desencadeada pelos seus companheiros que, na zona sul do país, combatiam contra as forças sul-africanas afectas ao então regime de apartheid. 

“Lembro-me que quando o presidente Agostinho Neto começou a falar, através da rádio, houve combatentes que, de tanta emoção, começaram a disparar e muita gente na cidade de Luanda pensou que eram combates contra as forças inimigas”, asseverou.

França “Ndalu” fez parte da formação das Forças Armadas Angolanas (FAA), de quem foi Chefe de Estado Maior General, e desempenhou, entre outras funções, as de embaixador de Angola nos Estados Unidos da América.