Angop - Agência de Notícias Angola Press

Responsável pede preservação do património histórico e cultural

17 Maio de 2018 | 07h11 - Lazer e Cultura

Moçâmedes - O chefe de departamento de Património Cultural da Direcção Provincial da Cultura, Benjamin Fernandes, disse quarta-feira que o maior desafio do governo é a preservação e conservação do património histórico e cultural, por forma a servir às gerações vindouras.

O responsável, que falava durante uma palestra que reuniu estudantes do ensino médio da Huíla, que se encontram nesta cidade no quadro da excursão académica, exortou os participantes a conhecerem o património cultural, com vista a sua melhor interpretação quanto ao seu valor histórico.  

O historiador e pesquisador disse ainda que a província do Namibe conta com 36 bens históricos, dentre os quais a Fortaleza de São Fernandes, como sendo o primeiro monumento construído pelos primeiros colonos portugueses em 1840.

Benjamim Fernandes referiu que Namibe é rica no contexto histórico, por constituir-se o primeiro ponto de ocupação colonial na região centro e sul do país.

Afirmou que a província possui estações arqueológicas de indústria lítica (ferramentas da idade da pedra) com milhares de anos, descobertas ao fim de oito anos de pesquisa, bem como possui a maior e rica arte rupestre composta por pinturas rupestres e arte "mbali".

Por seu turno, o presidente da Associação Provincial dos Alunos do Ensino Médio, Isidro Camunda, disse na ocasião que, um dos objectivos da excursão é conhecer profundamente a província do Namibe, a julgar pelo seu valor histriórico, económico e cultural.

“Queremos conhecer a realidade sócio cultural e histórica do Namibe, para aumentarmos os nossos conhecimentos académicos”, disse.

Disse que o maior desafio dos alunos e jovens estudantes em geral, é aumentar o seu nível de pesquisa, para permitir que os assuntos abordados nos seus trabalhos acadêmicos, venham ao encontro da realidade.

Integram a caravana 50 alunos do ensino médio da Huíla. O programa reserva visitas as instituições sociais e econômicas, com particular destaque, o governo da província, Porto Comercial do Namibe e Academia de Pesca e Ciências do Mar.