Angop - Agência de Notícias Angola Press

Angola sem incidentes marítimos

25 Setembro de 2020 | 09h44 - Economia

Luanda - O Instituto Marítimo e Portuário de Angola (Impa) está sem registos de qualquer acidente no espaço marítimo de Angola, nos últimos anos, considerando segura a navegação nas águas nacionais.

Não obstante a estabilidade registada no mar, o técnico sénior da Impa, Mário Mata defende a implementação de projectos para a melhoria das condições de ajuda na segurança a navegação na costa, portos, baias e arredores das instalações portuárias do País, assim como rios e lagoas.

“ A segurança à navegação marítima em Angola é considerada segura, porque nos últimos anos até a data não recebemos qualquer acto de notícia de fontes credíveis de incidentes ou acidentes no mar, que possa perigar a navegação na costa marítima”, afirmou Mário Mata técnico do Impar.

Mário Mata, que apresentou quinta-feira o tema “ Importância da Hidrografia na Navegação na Garantia do uso Sustentável do Mar”, no webinar em alusão ao Dia Marítimo Mundial, aponta necessidades de melhorias da instalação de equipamentos e meios, como do sistema nacional de vigilância marítima, controlo de tráfego marítimo costeiro e portuário e sistemas globais.

Refere a necessidade do levantamento de batimetros (avaliação de profundidade) para o auxílio navegação em toda a costa marítima e canais de acesso aos terminais.

O aumento e melhoria do patrulhamento e fiscalização das águas sob jurisdição de Angola, por parte de todas as entidades.

Portos carecem meios modernos

Os Portos de Angola, num total de seis, precisam de modernizar os seus meios, adequando-os às mudanças da indústria naval, que está a aumentar o tamanho dos navios no seu fabrico, passando de 170 metros para 300 metros.

O alerta é do consultor do Conselho de Administração do Impa, Manuel Zangui, que exorta os portos a não se limitarem apenas em actividades de descarga e carregamento de mercadorias, mas que apostem nas tecnologias, levando os serviços porta-a-porta dos clientes.

“ Os navios são cada vez maiores e demandam infra-estruturas portuárias e equipamentos modernos”, defendeu Manuel Zangui que apresentou o tema “Os desafios de Angola no Desenvolvimento Sustentável dos Portos”.

De acordo com Manuel Zangui, precisa-se de novos investimentos nos portos para receberem navios maiores, bem como os sistemas de rebocadores dos mesmos.

A nível terrestre, Manuel Zangui olha para a extensão dos Cais para melhor acomodação dos navios de última geração.

“ A indústria naval quando fabrica navios não emite avisos que vai o fazer”, advertiu, reiterando investimentos em equipamentos de descarga modernos, tendo em conta o volume de mercadorias que os novos navios podem suportar.

Caso se aposte nestes meios, os portos registarão mais fluidez nas duas operações nos Cais, evitando congestionamentos e celeridade na tramitação dos documentos, apesar das melhorias neste aspecto registados, nos últimos anos, com a implementação do Asycuda, que permite o desalfandegamento da mercadoria de forma prévia.

Em alusão ao “24 de Setembro”, Dia Marítimo Mundial foram abordados vários temas , como poluição marítima.