Angop - Agência de Notícias Angola Press

Mais de 50 porcento das fazendas na Caála encontram-se inoperantes

14 Setembro de 2020 | 16h04 - Economia

Caála - Setenta e sete, das 138 fazendas registadas pelas autoridades do município da Caála, na província do Huambo, encontram-se inoperantes há vários anos, sobretudo por falta de capacidade financeira dos proprietários para o desenvolvimento da actividade agrícola.

Os dados foram tornados públicos esta segunda-feira, na circunscrição, pelo chefe de secção da Agricultura da administração do município, Avelino Alfredo, quando entrevistado pela ANGOP no sentido de fazer uma abordagem da situação actual das fazendas locais.

Avelino Alfredo referiu que “a paralisação da maior parte das fazendas está relacionada com a falta de capacidade financeira dos proprietários e as dificuldades de obtenção de créditos para dar continuidade aos projectos no ramo agrícola”.

Acrescentou que existem algumas com um ciclo de paralisação produtiva variável, entre dois a três anos, afectadas pela incapacidade financeira dos proprietários, assim como pela falta de condições apropriadas para levar a cabo o seu trabalho agrícola.

Sem mostrar a média anual de produção das 61 fazendas em pleno funcionamento, disse que os seus proprietários estão concentrados na produção de cereais, leguminosas, hortícolas diversas, flores, frutas, raízes e tubérculos, que tem vindo a contribuir para o desenvolvimento socioeconómico do município da Caála.

Disse ainda que, com isso, estes contribuem igualmente para estimular a actividade comercial nesta região situado a 23 quilómetros a Oeste da cidade do Huambo.

Designada no passado com Rainha do Milho, o município da Caála possui uma extensão territorial de três mil e 680 quilómetros quadrados e cerca de 373 mil habitantes, subdivididos pelas comunas Sede, Catata, Cuima e Calenga.

O desenvolvimento da zona iniciou-se com a chegada do Caminho-de-Ferro de Benguela, em 1912 e, até 1970, designou-se vila Robert Williams, em homenagem ao magnata britânico que impulsionou a construção do mesmo. Em 15 de Julho de 1970 passou à categoria de cidade, com o nome de Caála.