Angop - Agência de Notícias Angola Press

Moxico: Projectos agrícolas fomentam produção alimentar - Secretário de Estado

16 Julho de 2017 | 13h21 - Economia

Luena - Os programas agrícolas que estão a ser implementados pelo Executivo angolano visam a promoção de um ambiente favorável ao fomento da actividade econômica privada e alavancar a produção alimentar, considerou sábado, no Luena, o secretário de Estado para Agricultura, José Amaro Taty.

  • Moxico: Secretario do Estado de Agricultura, José Amaro Tati

Ao dissertar sobre “As Políticas que visam impulsionar o sector agrário no actual contexto da economia”, num Wokshop promovido pela Universidade José Eduardo dos Santos, no Luena, reiterou que este ambiente tem despoletado no maior interesse de os empreendedores privados investirem no sector agrário e favorece as perspectivas de crescimento e da diversificação da economia.

Segundo José Amaro Taty, o desenvolvimento destes projectos contam com os recursos nacionais (públicos e privados) e da cooperação internacional (linhas de crédito e outros tipos de financiamentos), nos aspectos ligados aos financiamentos e parcerias tecnológicas específicas, visando a melhoria do bem-estar da população.

Disse que consta das prioridades do governo a promoção do desenvolvimento integrado e sustentável do sector agrário, tomando como referência o pleno aproveitamento do potencial dos recursos naturais produtivos e a competitividade do sector, para garantir a segurança alimentar e o abastecimento interno.

Precisou que a produção agrícola do país é maioritariamente desenvolvida pelo sector familiar, envolvendo dois mil e 570 famílias, no âmbito do programa de Extensão e Desenvolvimento Rural (PEDR), que apoia, anualmente, mais de dois milhões de famílias com sementes, fertilizante e ferramentas agrícolas em todo país.

Salientou também que o Estado está desenvolver, em todo país, dois projectos de desenvolvimento da agricultura familiar e de comercialização, financiados pelo Banco Mundial e pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrário (FIDA), abrangendo as províncias do Huambo, Bié e Huíla.

Disse que a ideia visa, entre outros objectivos, recuperar os agricultores das províncias vítimas da estiagem do ano passado, num financiamento do FIDA, com vista a reforçar os serviços de extensão agrícola e aposta nas escolas de campo, que permitirão a transferência das boas práticas agrícolas, ajudando organizar as comunidades rurais.

O workshop, com a duração de dois dias, visou destacar as diversas potencialidades da província do Moxico e os métodos para melhorar a auto-suficiência alimentar das famílias, promovendo a qualidade de vida da população.