Angop - Agência de Notícias Angola Press

Reparação de estradas deve constar das prioridades

07 Dezembro de 2017 | 19h38 - Economia

Saurimo - Automobilistas que circulam a via Luanda/Malange/Saurimo pediram nesta quinta-feira ao Governo a priorizar a reabilitação das estradas nacionais, vias secundárias e terciárias, para facilitar a circulação rodoviária, de modo a incentivar os automobilistas a pagar sem resistência a taxa de circulação.

  • Lunda Sul: Alastramneto de ravinas preocupam atomobilistas que pagam taxa de circulação

Entrevistados pela Angop, a propósito do anúncio da subida da taxa de circulação de 2017, os automobilistas manifestaram o seu desagrado pelo o aumento do valor, pelo facto da malha rodovíaria actual não apresentar condições para uma boa circulação.

O camionista Joaquim Dinis, que efectua a rota Luanda/Saurimo há seis anos, disse ser normal que o Executivo altere os valores da taxa de circulação, mas em contrapartida deve recuperar bem as vias, porque todos os dias verficam-se inúmeros acidentes, decorrentes das más condições das estradas.

Por sua vez, o camionista Benvindo Cuiva, que efectua a rota Moxico/Saurimo, disse não entender as razões da subida da taxa de circulação, e questionou se os responsáveis do Instituto Nacional das Estradas de Angola (INEA) e outros organismos do aparelho do Estado não vêem os buracos enormes e ravinas que ameaçam destruir as vias.

Por este facto, argumentou, que primeiron se devia melhorar as estradas e posteriormente operar-se a subida da taxa de circulação.

Lamentou o facto da sua viatura sofrer danos, devido às más condições das estradas e não haver ninguém que se responsabilize pelos encargos.

O automobilista Carlitos Mwatangue referiu que o Governo, através da taxa de circulação, colecta fundos necessários para reparação das estradas, por este facto, acha justo pagar, mas corrobora com os antecessores sobre a reparação do tapete asfáltico.

A cobrança da taxa de circulação para veículos automóveis e motociclos em circulação este ano (2017) será feita de 01 de Janeiro a 31 de Março de 2018, de acordo com o Ministério das Finanças.

Os selos da taxa circulação do período em referência terão as seguintes características:  Cinzenta  para os motociclos, laranja para os veículos  ligeiros, azul para os veículos  pesados e castanha para os veículos  isentos, de acordo com  Decreto Executivo  a que Angop teve hoje acesso.

O documento publicado em Diário da República, de 27 de Novembro do revoga o Decreto Executivo Nº 435/16, de 31 de Outubro, que determina  que os selos  de circulação referentes  ao ano de 2016,  tem a cor verde para os motociclos,  vermelho para os pesados e  cinzenta  para os  isentos.

No presente  diploma,   a taxa  de circulação  e fiscalização  do trânsito é fixada em valores que  variam de  mil e 850 kwanzas  a  AKZ 15 mil e 350, de acordo com  a cilindrada e tipo de  veículo.

A taxa de  circulação é  arrecadada pelas repartições, postos  fiscais, delegações  e postos aduaneiros, bem como  outras entidades  e agentes  autorizados para o efeito.