Angop - Agência de Notícias Angola Press

Girabola entra para última ronda sem campeão mas com despromovidos

16 Maio de 2019 | 17h12 - Desporto

Luanda - Se ainda existe uma incógnita sobre o campeão do Girabola2018/19, cuja luta está entre os dois principais rivais (1º de Agosto e Petro de Luanda), já no fundo da tabela estão confirmadas as três equipas despromovidas: ASA, Cuando Cubango FC e Saurimo FC.

  • Futebol: Jogo do Girabola
  • Futebol: Jogo do Girabola
  • Futebol: Jogo do Girabola
  • Futebol: Jogo do Girabola

A uma jornada do fim da 41ª jornada do Campeonato Nacional de futebol da primeira divisão, a disputar-se sábado e domingo, o histórico ASA voltou a decepcionar os seus adeptos, confirmando a sua segunda despromoção consecutivo.

Depois da descida em 2017, os aviadores, que eram até então totalistas no campeonato, a par do 1º de Agosto, ergueram-se e subiram logo a seguir, mas voltaram a “tombar” em virtude da má prestação nesta época, tudo muito por culpa das dificuldades financeiras que o clube atravessa.

A turma do aeroporto não conseguiu resistir à crise. Teve muitos percalços ao longo da competição, com greves à mistura dos atletas, que lhe valeu inclusive uma falta de comparência na 16ª jornada diante do Sagrada Esperança.

Os números não favorecem em nada esta agremiação fundada em 1953: Em 29 jogos, venceu em apenas cinco ocasiões, perdeu 14 vezes, empatou dez, marcou 24 golos e sofreu 46.

Os pupilos de José Dinis estão nesta altura na 14ª posição, com 25 pontos, atrás do Sporting de Cabinda (13º/28pts) e Académica do Lobito (12º/28 pts). Mas o ASA está em desvantagem nos resultados obtidos quer contra os sportuinguistas (vitória de 3-1 e derrota 2-6) quer com os académicos (0-0 e derrota de 1-2). Por isso, ainda que vença o último desafio diante do Recreativo da Caála, e os outros percam, não se safaria.

Dos três novos “inquilinos” no Girabola2018/19, apenas o Santa Rita de Cássia conseguiu manter-se entre os grandes, enquanto o Cuando Cubango FC (15º/23pts) e o Saurimo FC (16º/21 pts) serão rebaixados.

Por incumprimento contratual, quem está igualmente à beira da despromoção é o Kabuscorp do Palanca. Os palanquinos têm de provar que já liquidaram a dívida de 500 mil dólares com o ex-internacional brasileiro Rivaldo, caso contrário será relegado, no fim da prova, ao segundo escalão do futebol nacional, segundo orientação da FIFA.

A Federação Angolana da modalidade (FAF) recebeu uma missiva do órgão reitor do futebol mundial (FIFA) a determinar que o clube o faça chegar todos os comprovativos de pagamento da dívida. Caso não consiga entregar os documentos, a agremiação palanquina será relegada à divisão inferior.

  

Já no topo, a luta está entre 1º de Agosto e Petro de Luanda, equipas que voltaram a tomar as rédeas do campeonato nas últimas três temporadas, mas sempre com a equipa afecta às Forças Armadas Angolanas a comandar.

A “rivalidade teve um interregno”, quando o campeonato foi apossado, desde 2010, por outros “gigantes”, nomeadamente Recreativo do Libolo (campeão em 2011, 2012, 2014 e 2015), Interclube (2010) e Kabuscorp do Palanca (2013).

  

Os “Agostinos” dependem de si para lograr o quarto título consecutivo, mas para isso terão de vencer a rapaziada treinada por Paulo Torres, que espreitam o terceiro lugar da competição.

Os “militares”, líderes com 64 pontos, jogam às 16 horas no seu recinto habitual, o estádio 11 de Novembro, mas agora na condição de visitante.

A mesma hora, nos Coqueiros, os “petrolíferos”, ainda a sonharem com a conquista do campeonato, visitam o Progresso.

Os tricolores, com menos um ponto que o líder, estão obrigados a ganhar e, ainda assim, esperar por uma escorregadela da turma do Rio Seco. Nem mesmo um empate serve para a formação do eixo viário, porque em caso de terminar a competição em igualdade pontual com o 1º de Agosto, o rival levantará o seu 13º troféu, por levar vantagem nos jogos entre si (0-0, 1-0).

Outra grande disputa está na artilharia da competição, com Mabululu e Chico a despertarem as atenções, com 13 golos cada.

Os avançados do 1º de Agosto e do FC Bravos do Maquis são seguidos de perto pelo atacante do Petro de Luanda Tiago Azulão, com 12. O brasileiro pretende repetir a proeza das duas últimas edições, em que foi o melhor nesta posição, com 21 e 16 tentos, respectivamente.

Quem também espreita a artilharia é Lionel, do Desportivo da Huíla. O camaronês já marcou por 11 ocasiões.

Jogos da última jornada

Sábado

Cuando Cubango FC-Recreativo do Libolo

Santa Rita de Cássia-Sporting de Cabinda

Académica do Lobito-Saurimo FC

ASA-Recreativo da Caála

Domingo

Kabuscorp do Palanca-1º de Agosto

Progresso do Sambizanga-Petro de Luanda

Interclube-FC Bravos do Maquis

Desportivo da Huíla-Sagrada Esperança da Lunda Norte

Classificação

1º - 1º de Agosto – 64 pontos

2º - Petro de Luanda – 63 pts

3º - Kabuscorp do Palanca – 49 pts

4º - Desportivo da Huíla – 47

5º - Sagrada Esperança – 41

6º - Progresso do Sambizanga – 39

7º - Recreativo do Libolo – 39

8º - Interclube – 38

9º - FC Bravos do Maquis – 33

10º - Recreativo da Caála – 33

11º - Santa Rita de Cássia – 29

12º - Académica do Lobito – 28

13º - Sporting de Cabinda – 28

14º - ASA – 25

15º - Cuando Cubango FC – 23

16º - Saurimo FC – 21