Angop - Agência de Notícias Angola Press

Girabola2017: Planálticos voltam a testemunhar um dérbi local 20 anos depois

19 Maio de 2017 | 19h47 - Desporto

Huambo - Vinte anos depois, duas equipas da província do Huambo voltam a defrontar-se no campeonato nacional de futebol da I divisão (Girabola), quando no sábado medirem forças o JGM Acadêmica Sport Clube e o Recreativo da Caála.

O dérbi local, inserido na 15ª jornada da competição, vai ser disputado no “velhinho” estádio dos Kurikutelas (inaugurado em 1947), curiosamente onde ocorreu, em 1997, o último jogo entre duas equipas desta província no Girabola (Petro/Benfica).

Apesar do desafio em si não constar nos destaques desta última ronda da I volta, localmente está a ser aguardado com grande expectativa por parte dos aficionados da modalidade e não só.

Longe da pujança dos dérbis que eram protagonizados pelo Benfica e Petro, entre 1983 a 1997, ou entre os Palancas do Huambo e Estrelas Vermelhas, nas primeiras duas edições do Girabola (1979 e 1980), ainda assim, os rivais prometem bom espectáculo para não defraudarem o público e manterem viva a chama do dérbi.

Olhando pelo percurso dos contendores, facilmente se pode atribuir favoritismo aos “caalenses”, em prova desde 2009. A turma da cidade da Caála vem de uma sequência de três triunfos contínuos, o último dos quais sobre o Kabuscorp do Palanca que, até então, era a única equipa que não conhecera o sabor amargo da derrota.

Porém, de um lado estará um conjunto, estreante na competição, pressionado a vencer para sair, rapidamente, da zona de despromoção em que se encontra há muitas jornadas.

A equipa da cidade do Huambo, capital da província com o mesmo nome, não vence há duas jornadas seguidas e tem o pior ataque (8 golos marcados) e a pior defesa do campeonato (28 golos sofridos)

Mas, de acordo com o seu treinador, Águas Zeca da Silva, está preparada para contrariar o favoritismo do Caála. “Sabemos que é um jogo muito difícil para nós, a julgar pelos maus resultados nas jornadas anteriores e, sobretudo, pela inexperiência do nosso plantel, se comparado ao adversário. Mas o nosso maior objectivo é não perder”, disse.

Águas Zeca da Silva informou que os atletas estão moralizados para este embate, por ser um dérbi da província e ser o último jogo da I volta, sendo que o conjunto pretende aliar a boa exibição a um bom resultado.

Já nas hostes “caalenses”, o treinador Carlos Alberto Cardeau recusa assumir o favoritismo, realçando que jogos desta natureza são, sempre, de desfecho imprevisível.

Reconheceu, entretanto, que a equipa terá que esforçar-se ao máximo para vencer, prevendo, por isso, um jogo de muitas dificuldades, já que ambos conjuntos ambicionam o triunfo.

O Recreativo da Caála ocupa a 6ª posição, com 23 pontos menos um jogo, ao passo que o JGM está na 13ª, com 10 pontos, fruto de duas vitórias e seis empates.